Toda pessoa que apresentar rouquidão por mais que 15 dias deve obrigatoriamente ser avaliada. As causas de rouquidão variam desde alterações do fluxo aéreo expiratório como nos casos de doenças pulmonares até alterações na mobilidade e lesões nas pregas vocais . O mais importante é ter um diagnóstico preciso para que o tratamento específico seja instituído. O exame padrão é a videolaringoestroboscopia através da qual avaliam-se as pregas vocais e a região circunvizinha com uma ótica rígida de 70 graus utilizando-se uma fonte de luz que avalia as pregas vocais em "câmara lenta". Não é necessário anestesia para tal procedimento uma vez que a angulação da câmera permite a perfeita visualização da laringe colocando a ótica na boca do paciente (no máximo, utiliza-se um spray de xilocaína para tornar o exame mais confortável). Um laringologista experiente é capaz de alcançar o diagnóstico na grande maioria dos casos apenas com esse exame e o tratamento adequado pode ser instalado. As causas de rouquidão variam muito de acordo com a idade. Em crianças , destacam-se os nódulos de pregas vocais (chamados popularmente de "calos") e as alterações congênitas da laringe. Em adultos, as lesões benignas da laringe e as alterações estruturais mínimas se destacam em prevalência. Já nos idosos, os efeitos do envelhecimento na laringe são causas comuns além das neoplasias. Imobilidades de pregas vocais são comuns após procedimentos cirúrgicos ou tumores nas regiões cervical ou torácica. O tabagismo , o uso inadequado da voz , uma história familiar de rouquidão são alguns dos principais fatores de risco para as alterações laríngeas.